segunda-feira, 24 de maio de 2010

Professores de Educação Física denunciam péssimas condições do Colégio João Batista Nascimento


Escrito por sintese   
Qui, 20 de Maio de 2010 16:41
joaobatista2
joaobatista2
Os professores de Educação Física do Colégio Estadual João Batista Nascimento procuraram o SINTESE para denunciar as péssimas condições de trabalho as quais eles estão submetidos.
Área livre cheia de mato e com cacos de vidro, quadra de poliesportiva incompleta, falta de material específico. É isso que a escola oferece aos alunos e aos professores para o desenvolvimento das atividades.
Os professores confeccionaram um relatório com fotografias mostrando a situação da escola, localizada no conjunto Marcos Freire II, em Nossa Senhora do Socorro e possui 1300 alunos no Ensino Fundamental, Médio e Educação para Jovens e Adultos.
A área livre da escola é composta por “um areal amplo que serve como depósito de lixo (galhos de árvores, restos de material de construção, vidros, etc). Ao fundo temos um matagal com vários insetos e outros animais nocivos a saúde humana”.
joaoabatista1
joaoabatista1
Como o espaço é extenso há também presença de usuários de drogas, eles contam que já perderam as contas de quantas vezes a polícia já foi chamada para coibir o uso de drogas.
A quadra é um projeto mal elaborado que começou a ser construído em 1999 e ainda não foi concluído e a comunidade escolar não sabe o porquê e nem quando a quadra será finalizada, também não há equipamentos esportivos como: traves, tabelas de basquete, postes para voleibol e muito menos refletores, a conseqüência é que as aulas de Educação Física no período noturno ficam restritas a atividades em sala de aula. As linhas demarcatórias para as práticas desportivas são pintadas pelos próprios professores.
“A escola que deveria cumprir a função social de oferecer educação pública com qualidade pra a formação de cidadãos críticos e conscientes, tem sistematicamente negligenciado seus deveres constitucionais, notadamente quando se trata do fomento da prática regular de esportes e atividades físicas, como elementos de inclusão social e promoção da saúde em seus diversos aspectos”, diz trecho do documento.
O SINTESE enviará ofício encaminhando a denúncia dos professores para a Secretaria de Estado da Educação, Governo do Estado, Tribunal de Contas e para o Corpo de Bombeiros, para que eles façam uma vistoria no local.
fonte: SINTESE

Nenhum comentário:

Sobre o que já postamos

BOQUIM SERGIPE piso professores GREVE prefeito sintese luta Brasil PISO SALARIAL vereadores Déda Jean câmara Aracaju Lagarto Pedrinhas STF 2012 2014 Alencar Amigos BLOCO CARREIRA DEPUTADOS LAGOA VERMELHA MP PNE PRE-CAJU Tribunal de Contas chile ditadura enterro escolas governo magistério mec micareta prefeitura prova 12 de junho 141anos 150 dias 1567 2010 2016 ADI AZAR Abelardo Romero Dantas Alô Associação BANDA LARGA BODE Bahia CAE CANDIDATO CLT CNBB Carmem Miranda Ciarlos Conae Copa do mundo Creches DIA DO BEIJO ESTADUAL EUA Edivaldo Educação Estado Estância FESTA FIFA HINO IBGE INTERNET Iluminação Interior José José Comblin LAN HOUSE Lula MARCELO DEDA MDE MICARETA 2012 México Natal OAB Obama PAREDÕES PRAÇA RCB RESISTÊNCIA SE SEXTA FEIRA 13 TV Tabaroinha Taxa UFS Zé Carioca acidente adefib ai se eu soubesse aliança angra 1 angra 2 aniversário anos arcaju argentina.brasil assembleia. assim você me mata atomicas atrasado aulas bardosa batismos campanha censura cidadania cidade concursado contratados copertalse cravo dança das cadeiras dem denúncia dia dos namorados direitos edil energia escravos esquerda estudantes expressão fhs floro frei betto fundação hospitalar de saúde globo golpe militar hegemonia humanos iran japão jovem jovens joão junho kw/h lei liberdade libertação livro líder manifestações merenda merendeira micareta 2011 morte médicos mídia nacional notas novela nucleares oposição pacientes padre pascoa pedro barbosa polícia militar política prefeitos presidente pt páscoa quaresma reforma republica riachão rojões santana sbt secretaria segurança pública sindipema smecelt tabela tarifas teologia da libertação trânsito universitários usinas verdade vereador vice violencia voto