segunda-feira, 22 de novembro de 2010

SINTESE se prepara para a Prova Final 2010

Escrito por Caroline Santos   
Seg, 22 de Novembro de 2010 13:36
provafinal_2010
provafinal_2010
No último sábado, dia 20, professores de diversos municípios sergipanos se reuniram na sede do SINTESE. O objetivo foi receber as orientações para a aplicação da Prova Final 2010.
A Prova Final tem por objetivo avaliar o nível da educação das redes: estadual e municipais do Estado de Sergipe, através de um questionário que aborda as variáveis presentes no processo de ensino e aprendizagem.
A votação será realizada de 29 de novembro a 10 de dezembro. As notas dos prefeitos e do governador serão divulgadas dia 29 de dezembro em ato público realizado no centro comercial de Aracaju.
Os educadores vão avaliar as administrações baseadas nos seguintes parâmetros: Valorização profissional; Gestão Democrática; Garantia de direitos do Plano de Carreira e Estatuto; Condições de trabalho; política educacional e qualidade social do ensino.
“A Prova Final é um momento de ampla reflexão dos professores, pois é a chance de avaliar se políticas públicas para a Educação foram implantadas na escola pública sergipana”, disse a presidenta do SINTESE, Ângela Melo.
Para o professor Carlos Eduardo, eleito recentemente delegado sindical da rede estadual no município de Carira, a Prova Final será um momento importante de integração entre os professores e também com a sociedade.
A professora Claudete Santos, da rede municipal de General Maynard, espera que com a Prova Final os educadores possam ampliar o espaço de diálogo com a sociedade.
Como dar nota
Na quarta edição da Prova Final o processo de avaliação e coleta das notas foi melhorado. Foi adotada uma nova metodologia, aprovada em resolução no XIII Congresso. Para este ano estão previstas 152 urnas espalhadas pelos 75 municípios sergipanos, vale ressaltar que as notas só serão computadas se for alcançado o quórum mínimo de 50% das escolas de cada município.
A coleta das notas será feita através de urnas itinerantes que percorrerá os locais de trabalho dos professores, urnas fixas nas sub-sedes (Lagarto, Estância, Neópolis, Nossa Senhora da Glória e Itabaiana), também em prédios das secretárias municipais e estadual de Educação. O professor também poderá votar através do site do SINTESE.
fonte: SINTESE

Nenhum comentário:

Sobre o que já postamos

BOQUIM SERGIPE piso professores GREVE prefeito sintese luta Brasil PISO SALARIAL vereadores Déda Jean câmara Aracaju Lagarto Pedrinhas STF 2012 2014 Alencar Amigos BLOCO CARREIRA DEPUTADOS LAGOA VERMELHA MP PNE PRE-CAJU Tribunal de Contas chile ditadura enterro escolas governo magistério mec micareta prefeitura prova 12 de junho 141anos 150 dias 1567 2010 2016 ADI AZAR Abelardo Romero Dantas Alô Associação BANDA LARGA BODE Bahia CAE CANDIDATO CLT CNBB Carmem Miranda Ciarlos Conae Copa do mundo Creches DIA DO BEIJO ESTADUAL EUA Edivaldo Educação Estado Estância FESTA FIFA HINO IBGE INTERNET Iluminação Interior José José Comblin LAN HOUSE Lula MARCELO DEDA MDE MICARETA 2012 México Natal OAB Obama PAREDÕES PRAÇA RCB RESISTÊNCIA SE SEXTA FEIRA 13 TV Tabaroinha Taxa UFS Zé Carioca acidente adefib ai se eu soubesse aliança angra 1 angra 2 aniversário anos arcaju argentina.brasil assembleia. assim você me mata atomicas atrasado aulas bardosa batismos campanha censura cidadania cidade concursado contratados copertalse cravo dança das cadeiras dem denúncia dia dos namorados direitos edil energia escravos esquerda estudantes expressão fhs floro frei betto fundação hospitalar de saúde globo golpe militar hegemonia humanos iran japão jovem jovens joão junho kw/h lei liberdade libertação livro líder manifestações merenda merendeira micareta 2011 morte médicos mídia nacional notas novela nucleares oposição pacientes padre pascoa pedro barbosa polícia militar política prefeitos presidente pt páscoa quaresma reforma republica riachão rojões santana sbt secretaria segurança pública sindipema smecelt tabela tarifas teologia da libertação trânsito universitários usinas verdade vereador vice violencia voto