segunda-feira, 29 de abril de 2013

Rumo ao 1º de Maio...


Rumo ao 1º de Maio: combate ao PL da terceirização estará na pauta do Dia do Trabalhador

texto e fonte:http://www.cut.org.br
24/04/2013

Cutistas em todo Brasil recolherão assinaturas para frear substitutivo que acaba com direitos trabalhistas

Escrito por: Luiz Carvalho


imagem:http://www.advivo.com.br
Para a Central Única dos Trabalhadores, 1º de Maio é dia de luta, em especial neste ano, quando uma medida que pretende demolir os direitos trabalhistas caminha quase de maneira silenciosa a partir da Câmara dos Deputados.

Aprovado em 2011 na Comissão de Trabalho da Câmara , o substitutivo do deputado Roberto Santiago (PSD-SP) ao Projeto de Lei (PL) 4330/2004, do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), libera a terceirização na atividade-fim (a atividade preponderante da empresa).

A medida estabelece ainda a responsabilidade subsidiária, na qual o contratante não arca com os compromissos trabalhistas, caso a prestadora de serviço não quite com suas obrigações junto ao trabalhador, e ressuscita a Emenda 3, que autoriza a criação de empresas formadas por apenas uma pessoa. Dessa forma, qualquer trabalhador pode ser pressionado a se tornar prestador de serviço e, dessa forma, perder o direito a férias remuneradas e Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), entre outras conquistas.


Abaixo-assinado

Diante desse cenário, em encontro na tarde dessa terça-feira (23), CUT, CGTB, CTB, UGT e Intersindical se reuniram para fechar posição contra o projeto. As entidades mantém diálogo também com sindicatos da Força Sindical contrários à medida.

Além de uma nota técnica criticando o PL e o parecer do deputado Arthur Maia (PMDB-BA), relator da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC), as centrais pedirão uma audiência com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

Paralelo a isso, a CUT orientará as estaduais a colherem assinaturas nas celebrações do 1º de Maio em defesa dos direitos dos trabalhadores ameaçados pela terceirização. Clique aqui para assinar on line ou aqui para baixar o manifesto.

O documento é resultado de debates do Fórum em Defesa dos Trabalhadores Ameaçados pela Terceirização, grupo do qual a Central faz parte ao lado de outras organizações, como a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) e a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT).

Da mesma forma que as centrais, o fórum também divulgará uma nota técnica criticando o projeto de lei e o relatório de Maia e solicitará ao ministério do Trabalho a realização de um seminário sobre o tema.

Além dessas ações, a Central Única dos Trabalhadores, que mantem um Grupo de Trabalho (GT) para discutir a terceirização, também orientará suas estaduais a pressionarem os deputados federais de seus estados para que se posicionem contra o PL.

O próximo encontro do GT e do fórum acontece no dia 7 de maio e o projeto dos movimentos sociais é manter a mobilização para pressionar o governo a entrar nessa discussão.

Ataque aos trabalhadores – “Nossa ideia é que consigamos marcar nossa conversa com o Gilberto Carvalho e o Manoel Dias (ministro do Trabalho) por volta do dia 7, quando acontece o próximo encontro do GT e do Fórum para que entendam a gravidade da questão. Durante 10 anos esse PL ficou parado porque é uma aberração, traz muitos prejuízos à classe trabalhadora, incluindo ampliação da rotatividade, que impacta no orçamento da União”, explica a secretária de Relações do Trabalho da CUT, Maria das Graças Costa.

De acordo com um estudo de 2011 da CUT e do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o trabalhador terceirizado fica 2,6 anos a menos no emprego, tem uma jornada de três horas a mais semanalmente, e ganha 27% a menos. Ainda de acordo com a pesquisa, a cada 10 acidentes de trabalho, oito ocorrem entre terceirizados.

Cenário – O substitutivo ao PL 4330/2004 já recebeu aval do relator de Artur Maia e, após isso, foi aberto um prazo de cinco sessões ordinárias da Câmara para a apresentação de emendas ao substitutivo. O prazo se encerrou no último dia 17 de abril e foram apresentadas 121 emendas. Agora, o parlamentar analisará as sugestões para dar um novo parecer. Cumprida essa etapa, a matéria estará pronta para ser votada na CCJC e, uma vez aprovada, pode ir direto ao Senado ou, se houver recurso com 20% de assinaturas dos deputados da Câmara, segue para plenário na casa.

Caso passe, lembra Graça, o projeto pode trazer inclusive prejuízos ao serviço público, já que permite a terceirização também no funcionalismo.

“É uma porta aberta à corrupção, porque permite que empresas envolvidas em certas campanhas eleitorais possam ser beneficiadas pelos parlamentares e governantes eleitos. Sem contar a esfera municipal que, em muitas cidades, não segue nem as regras mínimas dos direitos trabalhistas.” 

Nenhum comentário:

Sobre o que já postamos

BOQUIM SERGIPE piso professores GREVE prefeito sintese luta Brasil PISO SALARIAL vereadores Déda Jean câmara Aracaju Lagarto Pedrinhas STF 2012 2014 Alencar Amigos BLOCO CARREIRA DEPUTADOS LAGOA VERMELHA MP PNE PRE-CAJU Tribunal de Contas chile ditadura enterro escolas governo magistério mec micareta prefeitura prova 12 de junho 141anos 150 dias 1567 2010 2016 ADI AZAR Abelardo Romero Dantas Alô Associação BANDA LARGA BODE Bahia CAE CANDIDATO CLT CNBB Carmem Miranda Ciarlos Conae Copa do mundo Creches DIA DO BEIJO ESTADUAL EUA Edivaldo Educação Estado Estância FESTA FIFA HINO IBGE INTERNET Iluminação Interior José José Comblin LAN HOUSE Lula MARCELO DEDA MDE MICARETA 2012 México Natal OAB Obama PAREDÕES PRAÇA RCB RESISTÊNCIA SE SEXTA FEIRA 13 TV Tabaroinha Taxa UFS Zé Carioca acidente adefib ai se eu soubesse aliança angra 1 angra 2 aniversário anos arcaju argentina.brasil assembleia. assim você me mata atomicas atrasado aulas bardosa batismos campanha censura cidadania cidade concursado contratados copertalse cravo dança das cadeiras dem denúncia dia dos namorados direitos edil energia escravos esquerda estudantes expressão fhs floro frei betto fundação hospitalar de saúde globo golpe militar hegemonia humanos iran japão jovem jovens joão junho kw/h lei liberdade libertação livro líder manifestações merenda merendeira micareta 2011 morte médicos mídia nacional notas novela nucleares oposição pacientes padre pascoa pedro barbosa polícia militar política prefeitos presidente pt páscoa quaresma reforma republica riachão rojões santana sbt secretaria segurança pública sindipema smecelt tabela tarifas teologia da libertação trânsito universitários usinas verdade vereador vice violencia voto