quarta-feira, 12 de junho de 2013

No dia dos namorados na câmara de vereadores de Boquim...

Nesta quarta-feira dia 12, (dia dos namorados),  na câ mara de vereadores de Boquim os professores e populares estiveram presentes para acompanhar o tramite do Projeto de Lei do reajuste do piso salarial.  
A tribuna foi ocupada pelos edis não só pelo reajuste como também sobre o reajuste salarial dos médicos e demais servidores da saúde, defendidos pelo vereador e presidente da Câmara Maciel, que fez sua indicação de numero 100 solicitando o reajuste dos médicos e demais servidores da saúde. Tendo o apoiado dos demais parlamentares municipais. 
A fala dos edis se resumiu em aguardar nesta sexta-feira, dia 14, o pronunciamento do professor Adilson Ribeiro, delegado de base sindical do SINTESE em Boquim, e que possivelmente na quarta-feira (19) poderia ser votado o projeto dos professores, o que deixou os presentes preocupados uma vez que no dia 20 o município pode já ter gerado a folha sem o novo reajuste.

 Imara se pronunciou em favor da categoria. Duca sugeriu que na sexta-feira poderia ser feita até a primeira votação, mas antes queria ouvir o sindicato.
O delegado de base ainda conversou com os professores nos corredores da Câmara durante a sessão sobre o que já haviam se pronunciado. Ao terminar a sessão os professores se reuniram para deliberar fazer novo ato de acompanhamento na sexta, até lá vão mobilizar mais companheiros para lotarem a CASA.
 O delegado de base Adilson foi falar com o secretario de educação Antonio Gois sobre o projeto de uma nova escola nos Olhos D’Água, que o município pode adquirir com recursos federais, no valor de mais 3 milhões de reais, mas o prazo para conseguir está acabando.
O professor José procurou os líderes da situação e oposição na câmara e reforçou a preocupação da categoria em não dar tempo de ser gerada a folha de pagamento com o reajuste se for votada na quarta, dia 19.
Duca e Nivaldo da Bala mostraram sensibilidade e disseram também preocupados com o fato e que buscariam o presidente para ver a possibilidade de fazer duas sessões extraordinárias ainda na sexta-feira dia 14.
O professor buscou ainda o presidente Maciel e passou também a preocupação do magistério, o mesmo disse que também verá questão e mostrou sua preocupação com a realidade do município e que não votará sem ouvir o sindicato antes.


Nenhum comentário:

Sobre o que já postamos

BOQUIM SERGIPE piso professores GREVE prefeito sintese luta Brasil PISO SALARIAL vereadores Déda Jean câmara Aracaju Lagarto Pedrinhas STF 2012 2014 Alencar Amigos BLOCO CARREIRA DEPUTADOS LAGOA VERMELHA MP PNE PRE-CAJU Tribunal de Contas chile ditadura enterro escolas governo magistério mec micareta prefeitura prova 12 de junho 141anos 150 dias 1567 2010 2016 ADI AZAR Abelardo Romero Dantas Alô Associação BANDA LARGA BODE Bahia CAE CANDIDATO CLT CNBB Carmem Miranda Ciarlos Conae Copa do mundo Creches DIA DO BEIJO ESTADUAL EUA Edivaldo Educação Estado Estância FESTA FIFA HINO IBGE INTERNET Iluminação Interior José José Comblin LAN HOUSE Lula MARCELO DEDA MDE MICARETA 2012 México Natal OAB Obama PAREDÕES PRAÇA RCB RESISTÊNCIA SE SEXTA FEIRA 13 TV Tabaroinha Taxa UFS Zé Carioca acidente adefib ai se eu soubesse aliança angra 1 angra 2 aniversário anos arcaju argentina.brasil assembleia. assim você me mata atomicas atrasado aulas bardosa batismos campanha censura cidadania cidade concursado contratados copertalse cravo dança das cadeiras dem denúncia dia dos namorados direitos edil energia escravos esquerda estudantes expressão fhs floro frei betto fundação hospitalar de saúde globo golpe militar hegemonia humanos iran japão jovem jovens joão junho kw/h lei liberdade libertação livro líder manifestações merenda merendeira micareta 2011 morte médicos mídia nacional notas novela nucleares oposição pacientes padre pascoa pedro barbosa polícia militar política prefeitos presidente pt páscoa quaresma reforma republica riachão rojões santana sbt secretaria segurança pública sindipema smecelt tabela tarifas teologia da libertação trânsito universitários usinas verdade vereador vice violencia voto